sábado, 17 de outubro de 2015

E quando tudo é apenas prazer

Uma atmosfera inquieta perpassa pelo chão que me resguarda.
Nem o frio gélido acalma o desejo que na ordem do tempo é desordem inconsciente das vontades que agora despertam.
Misturo-me com a luz ligeira do intimismo persistente na procura de ti. 
E finalmente te encontro, envolto na beleza do teu perfil.
Respiro devagar para não afastar o cheiro intenso e primitivo que percorre o meu corpo de fogos vivos, sensações quentes que cobrem com paixão a luxúria caída sobre mim.
Encontro-me em ti... submissa, possuída, lenta, ágil, tensa pelo desejo que me consume.
Faço-me de olhares fixos na aproximação do teu corpo ao meu.
Sou alma agitada, divina felicidade, impermanência dos sentidos que caminham transcendentes pelo caminho do prazer.

6 comentários:

  1. O olfacto e a visão são aliados poderosos nos rituais de sedução. O contacto visual naquele particular momento, nos píncaros de um momento de prazer é dos maiores afrodisíacos que conheço :P

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Subscrevo sujeitando-me a todos esses picos de prazer.

      Excluir
  2. E assim, o teu prazer têm gosto a uma intensidade divina... ;)
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Existem dias, em que existe a necessidade, de ser apenas prazer..

    ResponderExcluir